Abertura da Exposição “Diálogo, 30 anos de arte e poesia” de Gastão Debreix

Abertura da Exposição “Diálogo, 30 anos de arte e poesia” de Gastão Debreix

Artista expõe gravuras e objetos poéticos na Galeria Virgílio, em São Paulo. Entre os destaques está obra que critica loucura política atual

Chamado de artista-poeta pelo gestor cultural e curador Daniel Rangel, Gastão Debreix, 58, apresenta na exposição Diálogo um recorte de seus 30 anos de produção marcada pela constante experimentação de suportes e inspirada na
poesia concreta e na pop art.

A exposição, com abertura no dia 14 de maio na Galeria Virgílio, em São Paulo, reúne desde os primeiros caligramas até as atuais gravuras e ready-mades que chamam a atenção nas redes sociais do artista.

É uma grande mostra de serigrafias de diversos períodos e formatos, objetos poéticos e versões diferentes de Tramas, uma série de obras criada a partir da apropriação de pequenos pedaços de latas de tinta de parede, dobrados e trançados.

Um dos destaques em meio às obras atuais é a gravura Lama sobre Lama, com tipologia inspirada no icônico poema concreto Viva a Vaia, de Augusto de Campos.

Produzida em serigrafia com terra vermelha, a gravura remete aos vales entupidos pelos restos de mineração em Minas Gerais e Espírito Santo e também ao contexto político brasileiro.

Entre os ready-mades, a serigrafia Pau de Arara revela a veia engajada do artista ao fazer alusão à tortura praticada nos regimes repressivos. “Pau de Arara foi inspirada na loucura de nosso governo atual, militarista, maluco, que
enaltece a ditadura”, afirma Debreix.

Diálogo, a obra que dá título à exposição, com a imagem de dois perfis humanos formada pela colagem de fórmicas coloridas típicas dos cartoons, é definida por Daniel Rangel como um poema sem palavras desenhado por Debreix

“É um artista que executa pessoalmente todas as etapas envolvidas na formalização das obras”, conta o curador no texto de apresentação do caprichado catálogo.

A mostra individual na Galeria Virgílio, um amplo espaço em Pinheiros direcionado à arte contemporânea, é vista por Debreix como uma importante incursão no mercado de São Paulo – ele vive em Bauru (a 328 km da capital) e
já é bastante conhecido no interior do Estado. Já participou de diversas mostras coletivas em vários lugares do mundo e tem poemas publicados na revista Artéria, renomada e vanguardista publicação independente. Mas faltava
uma grande exposição individual por aqui.

“Sempre tive vontade de chegar com força em São Paulo, mostrar minha arte em uma galeria bacana”, diz. Respirando arte dia e noite, como conta, Debreix está pronto para receber o público para ver e sentir sua obra.

.

De 14 de maio a 14 de junho
Segunda a sexta 10h às 19h
Sábados das 11h às 17h.

.

Galeria Virgílio – Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 426 – Pinheiros
.

Entrada gratuita

Fechar Menu
Close Panel