Conheça melhor o trabalho do jornalista, crítico literário, escritor e professor do curso A Estrutura do Romance e do Conto, Paulo Nogueira

Conheça melhor o trabalho do jornalista, crítico literário, escritor e professor do curso A Estrutura do Romance e do Conto, Paulo Nogueira

Paulo Nogueira é jornalista, escritor, crítico literário e professor do curso A Estrutura do Romance e do Conto, uma das turmas mais procuradas aqui no b_arco. Nas aulas, que acontecem às terças-feiras, Paulo fala sobre noções conceituais, dicas concretas e trata do ensino da técnica que permeia a produção literária da narrativa de ficção – seja um conto, novela ou romance.

Abaixo, confira um trecho da matéria feita pelo jornalista Antonio Gonçalves Filho para o Caderno 2, do Estadão, sobre o livro mais recente de Paulo, “O Amor é Um Lugar Comum”:

“Radicado em Portugal desde 1988, [Paulo Nogueira] usa “a roupa hasteada no estendal”, no lugar de “a roupa pendurada no varal”, para descrever a ordem prussiana da casa do narrador de O Amor É um Lugar Comum – narrador que é também um escritor, o primeiro da galeria de personagens de Nogueira. Com seu característico humor, ele descreve a própria profissão por meio dele : “Ser escritor é tanto uma profissão como, sei lá, um encantador de serpentes, uma espécie de hobby emproado”, sintetiza no novo livro, ao traçar o retrato de Bernardo Correia, o autor-narrrador apaixonado por Lívia Nunes, que conheceu no primeiro dia de aula na escola de sua filha Francisca, de seis anos.

O livro fala de amores fracassados e da relação entre quatro amigos: Afonso, “um beato antediluviano”, Diana, uma “maluquinha esotérica”, Bernardo, o “escritor maldito”, e Eugênio, o “mulherengo insaciável” que caça suas presas pela internet. A redução a estereótipos parte da própria Diana, uma editora, em resposta à provocação de Eugênio, arquiteto, quando morre Afonso, médico sem fronteiras e católico piedoso. Nogueira mostra como, apesar das quatro visões diferentes de mundo, é esse o tipo de amor que sobrevive entre “esgrimistas” da existência numa era de relacionamentos expressos.

“Acho que a imagem sugerida pela parábola de Schopenhauer, a dos porcos-espinhos que se juntam no inverno rigoroso e acabam se machucando mutuamente, é a que mais se aproxima das relações que nos magoam”, compara o autor, repetindo uma observação do narrador de seu livro, que fala exatamente da proximidade que beira o insuportável no trânsito amoroso”.

Leia a matéria na íntegra.

A próxima turma do curso A Estrutura do Romance e do Conto está prevista para acontecer no próximo dia 20 de agosto. Se interessou? Confira na página do curso mais informações sobre o conteúdo das aulas e mais detalhes sobre o programa – aproveite, ainda temos algumas vagas em aberto!

A Estrutura do Romance e do Conto
De 20 de agosto a 3 de dezembro de 2019
Terças, das 11h às 13h

b_arco
Rua Dr Virgilio de Carvalho Pinto, 426 – Pinheiros, São Paulo
Próximo da estação Fradique Coutinho do Metrô
Estacionamento ao lado

Fechar Menu
Close Panel