O feminismo como movimento social emancipatório

O feminismo como movimento social emancipatório

O termo feminismo ainda arranca alguns olhares tortos, mas as implicações contidas nessa expressão carregam consigo vários aspectos, intenções e ações deste que é um dos mais importantes (senão o maior) movimentos sociais emancipatórios do século XXI.

Pesando na urgência desse movimento como força propulsora na luta contra a desigualdade e a opressão, convidamos a professora doutora Carla Cristina Garcia para ministrar o Introdução às teorias feministas contemporâneas, o qual busca apresentar as lutas das mulheres de todo o mundo e as influências das ideologias de igualdade de gênero na conquista de direitos.

Longe de ser um bicho-de-sete-cabeças, o feminismo surge na sociedade contemporânea quando se tornam ainda mais insustentáveis as relações de desigualdades entre os gêneros. Em seu livro “Breve história do feminismo”, Carla propõe, em uma de suas definições, o feminismo como:

“A tomada de consciência das mulheres como coletivo humano, da opressão, dominação e exploração de que foram e são objeto por parte do coletivo de homens no seio do patriarcado sob suas diferentes fases históricas, que as move em busca da liberdade de seu sexo e de todas as transformações da sociedade que sejam necessárias para este fim. Partindo desse princípio, o feminismo se articula como filosofia política e, ao mesmo tempo, como movimento social”.

Nos últimos 40 anos, temos visto o desenvolvimento de teorias feministas com propostas muito diferentes entre si e, para compreendê-las de forma mais adequada, o curso tem como objetivo fazer uma aproximação dessas múltiplas teorias e apresentar alguns dos processos que alimentam a atual reação patriarcal contra as mulheres.

Não é novidade que os índices de violência contra mulheres e minorias que divergem da normatividade branca aumentaram substancialmente, e isso mostra o quanto os sistemas de domínio patriarcal estão em alerta e reagindo contra a simples existência de indivíduos que buscam viver com os mesmos direitos e possibilidades que essa elite de privilégios possui.

Em uma época de transformações, o movimento feminista deve refletir sobre seu novo papel, identificar as novas estruturas do poder patriarcal que estão sendo criadas e produzir estratégias para conceitualizar e desativar estes novos núcleos de domínio masculino. Diante desse quadro, é necessário pensar na criação de novos vínculos e pactos políticos entre as mulheres para neutralizar estes “novos bárbaros do patriarcado” e conquistar espaços de liberdade, autonomia e igualdade para as mulheres.

A próxima turma do curso inicia no dia 14 de setembro – ainda há vagas! Saiba mais e garanta sua inscrição.

Introdução às teorias feministas contemporâneas
De 14 de setembro a 5 de outubro de 2019
Sábados, das 14h30 às 17h30

b_arco
Rua Dr Virgilio de Carvalho Pinto, 426 – Pinheiros, São Paulo
Próximo da estação Fradique Coutinho do Metrô
Estacionamento ao lado

Fechar Menu
Close Panel