Projeto Unrast | Desasosiego#SP

A artista teuto-brasileira Nathalie Fari apresenta performance, e expõe junto ao fotógrafo alemão Daniel Schäfer os registros do Projeto Desasosiego#SP, nos espaços do b_arco e da Galeria Virgilio.

 
Como o homem acelerado de hoje em dia encontra o silêncio? Onde ele encontra o seu espaço de proteção? E como podemos criar ilhas de recreação no espaço urbano?
 

O silêncio absoluto tornou-se em tempos pós-modernos um fenômeno do passado ou pelo menos algo, que é mais romantizado do que de fato vivênciado. Principalmente nas grandes cidades é quase impossível apreciar momentos de plena quietude e de paz – sempre encontra-se alguma loja aberta ou alguém circulando pelas ruas. Isto não só custa a qualidade de vida, por exemplo, o sono tranqüilo de milhares de pessoas. A falta de silêncio também desencadeia uma dinâmica, na qual está-se constântemente tentando superar ou até mesmo anular as distâncias entre A e B.
A partir deste estado de DESASOSIEGO (em português: inquietação) e das perguntas mencionadas acima, a artista teuto-brasileira Nathalie Fari e o fotógrafo alemão Daniel Schäfer, iniciaram um trabalho de pesquisa e intervenção no espaço público, que ocupa-se principalmente da procura por esse silêncio ou no sentido metafórico por esses „espaços de proteção“ (ou abrigo).
Em diferentes lugares, em sua maioria inusitados e incomuns, Nathalie desenvolve as suas ações sempre na mesma postura deitada (inspirado no movimento do „planking“1), enquanto Daniel dálhe o espaço com a sua fotografia. O objetivo não é somente refletir ou ilustrar estes lugares, mas também gerar um contraste no espaço público: um lugar de repouso (ou PONTO) no meio da paisagem urbana.
Assim o projeto site-specific DESASOSIEGO introduz o observador numa linguagem visual e corporal, onde ele também é convidado a encontrar o seu próprio espaço de proteção. A primeira estação dessa parceria artística foi Madrid em março de 2011 à convite de Myra Vidal; um projeto iniciado por Daniel Schäfer e Erika Lee, que organiza exposições de arte contemporânea para diferentes espacos. A próxima estação será São Paulo em julho de 2012.
http://en.wikipedia.org/wiki/Planking_(fad)
Descrição do Projeto:
A segunda edição do projeto DESASOSIEGO será desenvolvida especialmente para os espaços da Galeria Virgilio e do Centro Cultural b_arco. Na primeira etapa do trabalho, Nathalie e Daniel farão um estudo detalhado da arquitetura e do ambiente de alguns pontos da cidade, em especial do antigo centro de São Paulo, assim como dos arredores da Virgílio e b_arco. O objetivo deste estudo é localizar os possíveis „espaços de proteção“ (ou lugares, onde há algum tipo de silêncio).
Depois de ter selecionado no mínimo 12 destes espaços, os artistas entrarão em cena: Nathalie com as suas ações, nas quais está deitada ou tentando encaixar-se no espaço e Daniel com a sua câmera fotográfica, registrando tudo o que acontece dentro e fora da cena. Para ambos os artistas, o foco central de suas ações não é somente integrar a essência e as características do lugar, mas também questionar a função ou o significado de espaço público: menos transitório e impessoal e mais habitável.
Com o olhar voltado para este „espaço-abrigo“, os artistas realizarão a segunda etapa do trabalho, que consiste em:
1- editar e imprimir uma série limitada de imagens (6 a 12), que serão expostas na Galeria Virgilio;
2- conceber e ensaiar a performance (20 a 30 min), que será mostrada na Vernissage da exposição. Nesta performance, os artistas pretendem transportar de uma maneira sensorial, a experiência vivida no espaço público para dentro da galeria, usando para isso elementos de áudio e vídeo.
Além disso, Nathalie dará a oficina de performance: Cartografia Corporal (5 dias), na qual os participantes terão a oportunidade de desenvolver ações (individuais ou em grupo) para o espaço público, no caso, para os arredores da b_arco (segue no anexo o release completo da oficina).
Dessa forma, o projeto DESASOSIEGO busca em suas diferentes etapas e modalidades, gerar uma espécie de „mapa do silêncio“ da cidade, mostrando como ainda é possível (ou impossível) encontrar repouso e paz. Neste sentido, o caos e a constante agitação de Sao Paulo é um ótimo desafio para os artistas.
Para mais informações:
http://www.nathaliefari.com/works/agitation-desasosiego/ – Site
http://vimeo.com/23862489 – entrevista com os artistas
Dados Técnicos:
Idealização, Performance: Nathalie Fari
Fotografia: Daniel Schäfer
Produção: Atelier obra viva
Apoio: Myra Vidal Art Show
Biografias:
Nathalie Fari (1975, São Paulo) é uma das poucas artistas de performance, que trabalha principalmente o site-specific. As suas performances de caráter instalativo e único, denominadas por ela de “obras vivas”, acontecem em diferentes espaços, como por exemplo, no cubo branco (ou caixa preta), em vitrines, nichos, apartamentos, assim como no espaço público. As suas ações minimalistas e, na maioria, mudas, procuram reagir à crescente abundância de estímulos e de informações da sociedade pós-moderna, assim como abrir espaço para novas idéias. „Um dos aspectos essências do meu trabalho é a ocupação e criação de espaços dentro de um outro espaço (ou lugar)“, Nathalie cita. „Cada novo espaço é explorado minuciosamente com o corpo e com os sentidos, formando uma espécie de „cartografia do lugar“, ela acrescenta.
Licenciada em Artes Plásticas e Educação Artistica pela FAAP (1998), Nathalie Fari completou o seu mestrado em “Space Strategies” na Universidade de Arte e Design Berlin Weißensee (2009), especializando-se em “arte no espaço público”. Além disso fez escola de teatro no TUCA da PUC (1995) e também no concorrido CPT (Centro de Pesquisa Teatral) de Antunes Filho (1996). Para maiores informações: www.nathaliefari.com
Daniel Schäfer (1978, Erlangen, Alemanha) formou-se em Comunicação Visual pela Parsons Shool of Design em Nova York (2004). Em suas viagens como modelo profissional e ao lado de fotógrafos consagrados como Tyen, Karl Lagerfeld ou Bruce Weber, Daniel encontrou a sua principal fonte de inspiração para desenvolver os seus próprios projetos, principalmente em arquietetura, design e retrato. Sempre jogando com o movimento, os contrastes, a cor e as texturas, o seu estilo artístico destaca-se pelo seu caráter gráfico, contemporâneo e cosmopolita, assim como pela busca constante de novas composições. Daniel cita. “A vida é um presente. Ela nôs foi dada para viver, para sentir, para amar e para compartilhar, assim como a fotografia.”

Fechar Menu
Close Panel