Oficina de Roteiro Audiovisual para Iniciantes

Oficina de Roteiro Audiovisual para Iniciantes

com Aáron Fernández
> Trabalho de construção e desconstrução no exercício de escrita de um roteiro.


Data

  • De 15 a 25 de outubro de 2018
    Segunda a quinta, das 19h30 às 22h30

Valor

Detalhes Preço Qtd
Desconto até 15/10 - à vistaMais Detalhes  R$940,00 (BRL)   Encerrado
Paecelado em até 4xMais Detalhes  R$260,00 (BRL)   Encerrado
Após 15/10 - à vistaMais Detalhes  R$1.040,00 (BRL)   Encerrado
Parcelado em até 4xMais Detalhes  R$286,00 (BRL)   Encerrado
Inscreva-se aqui

Caso ainda tenha alguma dúvida, por favor, fale pra gente!


Apresentação

Partindo do modelo clássico aristotélico de dramaturgia e da análise de suas diferentes ferramentas, o curso irá mostrar como é possível desconstruir e subverter esses elementos básicos para abrir novas perspectivas e possibilidades de escrita de roteiro.

 

Objetivo

Retomando as palavras do roteirista francês Jean Claude Carrière, que afirma que “toda regra existe para ser infringida“, a oficina focará a atenção e a análise nesse trabalho de construção e desconstrução no exercício de escrita de um roteiro.

 

Metodologia

Durante as aulas, serão expostas as bases da escrita do roteiro (estrutura, conflitos, caracterização, diálogos etc…), usando como apoio exemplos de textos ou fragmentos de filmes. Serão dados exercícios de escrita tanto no horário de aula como dever de casa. Ao final da oficina, os alunos terão desenvolvido um argumento ou um roteiro de curta-metragem e terão aprendido um método sólido para se tornarem um publico mais ativo e crítico e também para desenvolver roteiros.

 

Requerimentos

Não é necessário ter conhecimentos básicos de escrita de roteiro ou de dramaturgia, mas é recomendável ter aptidão e gosto pela escrita como uma atividade regular. Para aproveitar plenamente a oficina, é altamente recomendado que o aluno tenha de antemão ideias ou sinopses breves para poder desenvolver um argumento ou roteiro de curta metragem durante a oficina.

 

Conteúdo

1) Definir o que é um roteiro em suas diferentes formas

  • O que caracteriza um roteiro
  • Ideia ou storyline, sinopse, argumento, escaleta, tratamento, roteiro literário, roteiro técnico.

2) O corpo do roteiro

  • O estilo e a sintaxe do texto de roteiro. Como descrever imagens e sons, ações, movimentos e enquadramentos.
  • O formato editorial comum e profissional do roteiro, as diferentes convenções de formato de edição do texto cinematográfico.

3) Estrutura, forma e ritmo

  • Análise dos elementos fundamentais da dramaturgia e da narrativa clássica.

1 – Personagem e objetivo

2 – O conflito central

3 – A estrutura em três atos

Outros modelos possíveis de estrutura e forma que desconstroem e reconstroem a estrutura clássica:

  • Se não se segue nenhuma regra o que se segue? Definir seus horizontes e diretrizes narrativas.
  • O começo meio e fim renovados e reinventados.
  • Estruturas com personagens sem objetivo claro ou fixo.
  • Modelo romanesco e de múltiplos enredos.
  • Filmes desdramatizados e contemplativos
  • A carência de um conflito central ou a multiplicidade de conflitos.
  • O modelo lírico e poético

4) Personagens e caracterização.

  • Definir uma personagem de ficção.
  • O arco dramático.
  • Ferramentas de caracterização.

 

Cronograma

AULA 1

1.1 Definir o que é um roteiro em suas diferentes formas

  • O que caracteriza um roteiro
  • Ideia ou storyline, sinopse, argumento, escaleta, tratamento, roteiro literário, roteiro técnico.

1.2 Trabalho prático.

  • Apresentação das Storylines de cada um dos alunos. Comentários e sugestões para melhorar cada uma das ideias propostas.

 

AULA 2

  • O corpo do roteiro.
  • O estilo e a sintaxe do texto de roteiro. Como descrever imagens e sons, ações, movimentos e enquadramentos.
  • O formato editorial comum e profissional do roteiro, as diferentes convenções de formato de edição do texto cinematográfico.

 

AULA 3

  • Estrutura, forma e ritmo.
  • Análise dos elementos fundamentais da dramaturgia e da narrativa clássica.

-Personagem e objetivo

-O conflito central

-Obstáculos

 

AULA 4

  • Trabalho prático de escrita.
  • Apresentação das sinopses desenvolvidas fora de aula, comentários e reescrita dos textos.

 

AULA 5

  • A estrutura em três atos.
  • Definição de cada um dos atos dramatúrgicos
  • Pontos estruturais
  • Estruturas em crescendo e estruturas planas
  • Climax e anticlímax
  • Resolução e conclusão.

 

AULA 6

  • Trabalho prático de escrita.
  • Apresentação dos argumentos desenvolvidos pelos alunos fora de aula.
  • Intercambio de textos. Grupos de trabalho reescrevendo os argumentos dos outros alunos.

 

AULA 7

  • Personagens e caracterização
  • Definir uma personagem de ficção.
  • O arco dramático.
  • Ferramentas de caracterização.

 

AULA 8

8.1 Além do modelo clássico aristotélico  

Outros modelos possíveis de estrutura e forma que desconstroem e reconstroem a estrutura clássica:

  • -Se não se segue nenhuma regra o que se segue? Definir seus horizontes e diretrizes narrativas.
  • -O começo meio e fim renovados e reinventados.
  • -Estruturas com personagens sem objetivo claro ou fixo.
  • -Modelo romanesco e de múltiplos enredos.
  • -Filmes desdramatizados e contemplativos
  • -A carência de um conflito central ou a multiplicidade de conflitos.
  • -O modelo lírico e poético e o modelo experimental.

8.2 Trabalho prático.

  • Apresentação e leitura final dos roteiros ou argumentos desenvolvidos durante a oficina.

 

 

Informações extras

Bibliografia Oficina de Roteiro

ARISTÓTELES. Arte Poética. Tradução de Eudoro de Souza. Ed. Globo. Tradução Jaime Bruna, Ed Cultrix.

PALLOTTINI, Renata. O que é dramaturgia. Ed. Brasiliense.

CARRIÈRE Jean-Claude, BONITZER Pascal. Prática do roteiro cinematográfico. Ed. JSN

LAVANDIER Yves. La dramaturgie, Les mécanismes du récit. Ed. Le Clown et l’enfant (em francês)

La dramaturgia, Los mecanismos del relato. Ed. EIUNSA (em espanhol)

DE CAMPOS Flavio, Roteiro de cinema e televisão. Ed. Jorge Zahar

MACHALSKI Miguel, Roteiro Cinematográfico, Uma viagem imprevisível. TZ Editora

MCKEE Robert. Story (Substancia, estrutura, estilo e os princípios da escrita de roteiro). Ed. Arte e letra

CHION Michel. O roteiro de Cinema. Ed. Martins Fontes

HOWARD, David, MABLEY, Edward. Teoria e Prática do roteiro: um guia para escritores de cinema e televisão. Ed. Globo.

RODRIGUES Sonia. Como escrever séries. Ed. Aleph

SEGER, Linda. Como criar personagens inesquecíveis. Ed. Bossa-Nova.

CAMPBELL, Joseph. O herói de mil fases. Ed. Pensamento.

REUTER, Yves. A análise da Narrativa. Ed. Bertrand Brasil.

TRUFFAUT François. Hitchckok-Truffaut Entrevistas. Ed. Companhia das Letras

SCOTT Kevin Conroy. Lições de roteiristas. Ed. Civilização Brasileira

LAX Eric. Conversas com Woody Allen. Ed. Cosac & Naif

 

Sítios Internet

www.roteirodecinema.com.br

www.ar.art.br/ (Associação dos Roteiristas)

www.bn.br/portal (⇒ serviços a profissionais ⇒ escritório de direitos autorais)

www.wga.org (Writers Guild of America)

www.copyright.gov (registro roteiros nos USA)

 

Filmografia indicada (e não limitativa) OFICINA DE ROTEIRO 

A Regra do jogo de Jean Renoir (França 1939)

Cidadão Kane de Orson Welles (USA 1941)

Janela indiscreta de Alfred Hitchcock (USA 1954)

Morangos  Silvestres de Ingmar Bergman (Suécia 1957)

Um corpo que cai (Vertigo) de Alfred Hitchcock (USA 1958)

Psicose de Alfred Hitchcock (USA 1960)

La Aventura de M. Antonioni (Itália 1960)

Persona de Ingmar Bergman (Suécia 1966)

Chinatown de Roman Polanski (USA 1974)

Manhattan de Woody Allen (USA 1979)

Fanny e Alexander de Ingmar Bergman (Suécia 1982)

Amadeus de Milos Forman (USA 1984)

Hannah e suas irmãs de Woody Allen (USA 1986)

Crimes e pecados de Woody Allen (USA 1989)

Short Cuts – Vidas Cruzadas de Robert Altman (USA 1993)

Seven, os sete pecados capitais de David Fincher (USA 1995)

Central do Brasil de Walter Salles (Brasil 1998)

Festa de Família de Thomas Vintenberg (Dinamarca 1998)

A minha vida sem mim de Isabel Coixet (Canadá Espanha 1999)

Magnólia (USA 1999) de Paul Thomas Anderson

Memento de Christopher Nolan (USA 2000)

E sua mãe também de Alfonso Cuarón (México 2001)

Minority Report de Steven Spielberg (USA 2002)

Prenda-me se for capaz de Steven Spielberg (USA 2002)

Cidade de Deus de Fernando Meirelles (Brasil 2003)

Dogville de Lars Von Trier (Dinamarca 2003)

O abraço partido de Daniel Burman (Argentina 2004)

Whisky de Juan Pablo Rebella y Pablo Stoll (Uruguay 2004)

Os infiltrados de Martin Scorsese (USA 2006)

A vida dos outros de Florian Henckel Von Donnersmark (Alemanha 2006)

O ano em que meus pais saíram de feiras de Cao Hamburger (Brasil 2006)

O Céu de Suely de Karim Ainouz (Brasil 2006)

O Silencio de Lorna de Luc y Jean Pierre Dardenne (Bélgica 2007)

As melhores coisas do mundo de Laís Bodanski (Brasil 2009)

Frances Ha de Noah Baumbach (USA 2012)

A Separação de Asghar Faradhi (Irã 2011) Asghar Farhadi

 

Aluno

Carga horária: 24 horas (8 encontros de 3h).

Para o público em geral entre 18 e 65 anos com interesse em cinema, dramaturgia e audiovisual, mas que não possui uma formação nesse campo e que gostaria de aprender as bases da escrita de roteiro e de dramaturgia. Também pode interessar amplamente a profissionais e estudantes do meio audiovisual, publicidade, letras ou dramaturgia que visam consolidar e aprimorar seus conhecimentos em técnica de escrita de roteiro. Não é necessário ter conhecimentos básicos de escrita de roteiro ou de dramaturgia, mas é recomendável ter aptidão e gosto pela escrita como uma atividade regular.

O nível recomendado é iniciante e intermediário.

 

Sobre o professor

Aarón Fernández, mexicano, formado em estudos cinematográficos na França pela Université Paris 3 Nouvelle Sorbonne (diploma reconhecido pela ECA – USP). Mora no Brasil desde 2008, onde tem se desempenhado como roteirista, diretor e produtor em vários projetos para cinema e TV. Tem uma ampla experiência internacional e trabalha entre o Brasil, México eFrança.

Dirigiu e escreveu cinco curtas metragens, prévio a seu primeiro longa metragem, Partes usadas (2007), que participou de mais de 40 festivais, obtendo vários reconhecimentos, entre os quais o Prêmio ao Melhor Filme de Estreia do Festival de Guadalajara 2007 (México) e o Prêmio Glauber Rocha, concedido ao melhor filme latino-americano do Festival de Montreal de 2007.

Em 2012 foi diretor assistente e coprodutor do longa metragem Super Nada, dirigido por Rubens Rewald e Rossana Foglia, com as atuações de Jair Rodrigues, Marat Descartes e Clarissa Kiste.

Em 2013 dirigiu os 5 primeiros episódios da série de TV Alguien más coproduzida por Canana Films e Canal Once (México).

Seu segundo longa-metragem, Las horas muertas (2013), cujo roteiro foi escrito dentro do programa de residência auspiciado pela Cinéfondation do Festival de Cannes, estreou mundialmente em setembro 2013 no Festival de San Sebastián, e participou de mais de trinta festivais. Obteve o prêmio de Melhor Contribuição Artística no Festival de Tóquio, e os prêmios de Melhor Atriz e Menção Especial do Júri no Festival de Morelia, México.

Em 2016 escreveu e dirigiu junto com Rubens Rewald, para a série da ESPN Memória do Esporte Olímpico Brasileiro, o documentário 800M que conta a saga dos meio fundistas Agberto Guimarães, Joaquim Cruz e Zequinha Barbosa. Escreveu em parceria com a roteirista Jessica Candal o longa-metragem Tão longe do centro da terra, projeto que participou do Núcleo Criativo do FSA da produtora Acere. Este projeto está atualmente em captação de recursos.

Acaba de finalizar e estrear o documentário de longa-metragem Um filósofo na arena coprodução México, França e Espanha, retrato do pensador francês Francis Wolff, que além de ter escrito obras importantes sobre Sócrates, a Linguagem, a Música e o Humanismo, paradoxalmente também é um grande aficionado de corridas de touros. O filme estreou no Festival de Guadalajara em seleção oficial. Paralelamente a sua atividade como cineasta, Aarón Fernández tem dado aulas e ministrado oficinas de direção e roteiro em diversas instituições no Brasil como no México. Tem sido júri e consultor de projetos de longa-metragem em vários fundos (PROAC, CNC Ecuador, FONCA e IMCINE México).

 


Apoio

BRAVI               

 

*Descontos para associados

Professor


Inscreva-se aqui

Caso ainda tenha alguma dúvida, por favor, fale pra gente!

Caso ainda tenha alguma dúvida, por favor, fale pra gente!

  (11) 3081-6986
 (11) 94528-8833
  atendimento@barco.art.br

Local

Telefone do local: (11) 3081-6986

Endereço:
Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 426, São Paulo, SP, 05415-020, Brasil

Fechar Menu
Close Panel