com

Joel Pizzini

> As estratégias narrativas da dramaturgia documental: uma visão panorâmica e reflexiva da produção atual

/conteudo

Apresentação

A denominação Documentário de Criação foi uma forma da televisão européia classificar os documentários que valorizam a subjetividade como fator determinante para a narrativa dos filmes do gênero.  A palavra criação”, no caso, é um contraponto ao formato documentário que pressupõe geralmente um estilo de filme onde a informação e a objetividade predominam.

 

Conteúdo

O objetivo do curso é proporcionar uma imersão criativa e histórica na linguagem do chamado Cinema Documentário, seus limites e possibilidades, através de suas vertentes contemporâneas: o filme-ensaio, o cinema de não-ficção, de autoficção e outras expressões autorais.

Por meio de exercícios e  exibição de trechos emblemáticos de filmes seminais no gênero, o curso mostrará estratégias narrativas  da dramaturgia documentalpermitindo uma visão panorâmica e reflexiva da produção atual. O filme Rio da Dúvida do diretor, (com exibição no Festival) será abordado na Oficina como referência de pesquisa e montagem na conjugação de imagens de arquivo com encenações atuais.

 

 

Cronograma

Aula 01

A origem histórica do Documentário (Poeira e Tédio O conceito de Alberto Cavalcanti)
A Tradição Jornalística (Os efeitos da nomenclatura e a Voz de Deus)
Os Esquemas Narrativos (A lógica linear e cronológica na formulação da estrutura)
O Cinema Etnográfico:  Major Thomas Reis, Silvino Santos e Jean Rouca
O Documentário Verdade e Observacional: A revolução tecnológica (O Som Direto)

 

Aula 02
Os limites da linguagem Documentário ( Fronteiras entre ética x estética)
A relação entre Tema x Método
O uso do Docudrama
A Primeira Pessoa ( o Sujeito no Discurso Documental)
O Documentário Moderno ( A Visita e a Entre-vista)
A Falsa Ficção (Os limites da linguagem Documental)

 

Aula 03

O Falso Documentário (A paródia como negação do Real)
O  Filmensaio  & Cinema Não-Ficcional (a Mise-en-scéne, os não-atores e a construção da paisagem sonora)
O Metadocumentário (o autor como personagem-tema)

 

Aula 04

O Anti-Documentário (expressões contemporâneas)
Os dispositivos anarrativos (A Dramaturgia Formal, o Perspectivismo)
O Documentário de Invenção (a montagem como personagem)
A Autorepresentação, a Autoficção e o cinema performativo (Eu é um outro)

 

Aula 05

Sessão do exercício final da Oficina com a apresentação do Autorretrato realizado pelos alunos.

 

Alunos

Público-alvo: aberto a todos interessados que tenham alguma experiência em audiovisual (teoria ou prática)
*Pedimos que quem tiver software de edição traga pra melhor aproveitamento do curso

Carga horária total: 5 encontros – 17h30m

 

Sobre o professor

Joel Pizzini é cineasta, pesquisador, autor de ensaios documentais premiados internacionalmente como “Caramujo-Flor” (1988), “Enigma de Um Dia(1996), “Glauces” (2001) e “Dormente” (2006), Joel Pizzini conquistou com os longas “500 Almas” (2004) eAnabazys” (2009), além da seleção oficial no Festival de Veneza, os prêmios de Melhor Filme, Som, Fotografia, Especial do Júri, Montagem, nos Festivais do Rio, Mar Del Plata, e Brasília. Para a televisão, à convite do Canal Brasil, realizou os retratos “Um Homem Só“(2001), “Elogio da Luz”(2003), “Retrato da Terra”(2004), “Helena Zero” (2006), entre outros. Conselheiro da Escola do Audiovisual de Fortaleza e Professorda PUC- Rj(pós-graduação em Comunicação) e Faculdade de Artes doParaná, Pizzini foi artista residente da Unicamp  do Arsenal/Fórum da Berlinale, dentro do projeto Living Archive.Trabalhou ainda como Curador da Restauração da obra de GlauberRocha.. Pesquisador de novas linguagens, participou do projeto Artecidade e da Bienal de São Paulo, Mercosul comvideoinstaçõese direção de performances. Diretor deElogio da Graça(Melhor curta no Grande Premio do Cinema Brasileiro) e Mr.Sganzerla, vencedor do Festival É Tudo Verdade (2010) HBRFF em LosAngeles.  Dirigiu o filmensaio  “Olho Nú” (sobre NeyMatogrosso), co-produzido pelo Canal Brasil e Paloma Cinematográfica, premiado como melhor filme do Festival In-Edit e  FestCine América do Sul e selecionado oficialmente para o Doc Lisboa, e Festivais de Havana, Guadalajara, FIPA (Biarritz). Criou a instalação Ruído no Branco  a convite da Fundação Iberê Camargo em Porto Alegre (RS) e produziu e dirigiu “Mar de Fogo”, curta experimental selecionado para a competição oficial da Berlinale, 2015 e Mostra Internacional de São Paulo. Teve recentemente seu filme Elogio da Sombra selecionado para a competição Oficial de Oberhausen, na Alemanha e recentemente dirigiu o documentário de invenção Rio da Dúvida, sobre a Expedição Rondon-Roosevelt em 1913, além de preparar o projeto Depois do Trem.

/data

27 a 31 de janeiro de 2020

Segunda a sexta, das 19h às 22h30

/valor

Sentimos muito, mas todos os bilhetes tiveram suas vendas finalizadas porque o evento já ocorreu.

As inscrições estão encerradas.

Deixe seu contato e avisaremos quando houver uma nova edição deste curso.

/compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Fechar Menu