História da Arte pensada a partir da América Latina

com
Sylvia Werneck
Novas chaves de interpretação para a história da arte vista a partir da América Latina

/data

22 a 25 de junho de 2020

segunda a quinta, das 19h às 21h

/valor

Detalhes Preço Qtd
À vistaMais Detalhes  R$280,00 (BRL)  
Parcelado - 2xMais Detalhes  R$150,00 (BRL)  

/compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

/conteúdo

Nossa construção da História da Arte é, assim como a da própria história em si, arbitrariamente eurocêntrica, seguindo um fluxo que coloca a Europa e, mais tarde, os Estados Unidos, como paradigmas das noções do que classificamos como arte. A América Latina, assim como a Ásia e a África, fica relegada a segundo plano e entra em cena apenas por ocasião da chegada dos europeus. Toda a cultura legitimada pelas instituições obedece a um pensamento gestado numa cultura externa, à qual ainda hoje rendemos loas. A proposta deste curso é colocar em xeque esta narrativa hegemônica para propor uma história da arte vista a partir da América Latina.

Para tanto, algumas questões pedirão reexame – como definir o que entendemos por América Latina, um termo que generaliza e amalgama profundas diferenças, em que medida estas diferentes histórias do continente se aproximam ou se distanciam, e se ainda somos considerados uma região periférica. Depararemos com subcentros e subperiferias, e diferentes “tempos” em andamento simultâneo, que ajudam a termos uma noção um pouco melhor sobre toda a diversidade do continente.

Ao longo de 4 encontros, começaremos discutindo a construção do conceito de América Latina e como se desenvolveu no decorrer do tempo. Tomaremos contato com a obra de artistas em suas variadas manifestações, do início do século XX até a produção de nossos dias em diferentes países da região. As manifestações artísticas abordadas serão examinadas à luz dos aspectos específicos da região – os diferentes tipos de colonização e modelos de (sub)desenvolvimento, peculiaridades geográficas e étnicas, eventos sócio-políticos e aspectos de costumes. Tendo como pano de fundo tais especificidades, apreciaremos a obra de artistas contemporâneos em diversas modalidades, de acordo com recortes não convencionais. A proposta é propiciar novas chaves de interpretação a partir das perspectivas escolhidas, fomentando nos alunos a construção de uma fruição autônoma.

 

Cronograma

Aula 01:

O que é América Latina / Identidades múltiplas / Visão externa / Colonização e conquista

 

Aula 02:

Modernismo na América Latina – principais artistas / Antecedentes e vanguardas / Desdobramentos

 

Aula 03:

Manifestações contemporâneas – memória / mitos e fantasia / identidades

 

Aula 04:

Manifestações contemporâneas – a questão feminina / política / resgate da cultura popular

 

 

Aluno

Para: estudantes, artistas, professores e pessoas interessadas em arte e cultura da América Latina.

Carga horária total 04 encontros – 8 horas

*Este curso é oferecido na modalidade ONLINE, portanto é necessário ter acesso à internet. As aulas irão acontecer ao vivo no aplicativo ZOOM. Indicamos que o participante tenha um computador ou celular com câmera e microfone.

 

sobre o professor

Professor

  • Sylvia Werneck
    Sylvia Werneck (São Paulo, 1970) é crítica filiada às associações brasileira e internacional dos críticos de arte (ABCA e AICA) e curadora independente. Tem especialização em Estudos de Museus de Arte (MAC-USP), mestrado em Estética e História da Arte (PGEHA-USP) e doutorado em Comunicação e Cultura (Programa de Integração da América Latina – USP). Como curadora, realiza exposições em espaços culturais independentes, galerias e museus desde 2008, fez parte da comissão de seleção de novos artistas para a Bienal de Novos Artistas da Caixa Cultural em 2016, desenvolveu projeto curatorial de itinerância do acervo da Caixa Cultural em 2017. É correspondente da Revista Artnexus desde 2012 e colaboradora da Revista babEL desde 2018. Foi jurada do Prêmio Bravo de Cultura em 2018. Lecionou no curso de Artes Visuais do Centro Universitário Senac entre 2007 e 2009. É autora de “De dentro para fora - a memória do local no mundo global” (Editora Zouk, 2011).