Precisamos Conversar Sobre a Velhice, Vamos?

com
Gisela Castro
> Um debate sobre idadismo, preconceito baseado na idade, que ocasiona a discriminação contra as pessoas vistas como idosas e contribui para uma eventual exclusão social.

/data

14 a 17 de setembro de 2020

segunda a quinta, das 19h às 21h30

/valor

Detalhes Preço Qtd
À vistaMais Detalhes  R$280,00 (BRL)  
ParceladoMais Detalhes  R$150,00 (BRL)  

/compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

/conteúdo

A longevidade é uma das principais conquistas do contemporâneo. Este curso enfrenta a espinhosa questão do envelhecimento visando problematizar pressupostos e arraigados preconceitos que permeiam o senso comum e informam o imaginário sobre o longeviver em nossas sociedades. Para contribuir na promoção de formas mais respeitosas e solidárias de conviver e atuar no mundo, é imperioso combater os preconceitos e as discriminações sociais de qualquer espécie. Em um contexto que tornou a juventude obrigatória em qualquer idade, é preciso colocar em questão o idadismo e as diversas formas de opressão contra as pessoas mais velhas para que se possa, então, desvelar a dignidade e a beleza da vida longeva e da convivência efetiva entre gerações.

 

Cronograma

Aula 1 – A (in)visibilidade das velhices na mídia

Aula 2 – O duplo viés de preconceito contra as mulheres maduras

Aula 3 – Dores e delícias, oportunidades e desafios no mercado grisalho

Aula 4 – Os velhos na pandemia: solidariedade X necropolítica

 

 

Aluno

Público-alvo: aberto a todos os interessados

Carga horária total: 4 encontros – 10 horas

*Este curso é oferecido na modalidade ONLINE, portanto é necessário ter acesso à internet. As aulas irão acontecer ao vivo no aplicativo ZOOM. Indicamos que o participante tenha um computador ou celular com câmera e microfone.

sobre o professor

Professor

  • Gisela Castro
    Gisela Castro é Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ, pós doutorado em Sociologia no Goldsmiths College, University of London, com supervisão de Mike Featherstone e bolsa Fapesp. Docente do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), São Paulo. Graduação em Psicologia (UFRJ,1980), Complementação Pedagógica (Universidade Santa Úrsula, 1984), mestrado e doutorado em Comunicação e Cultura (UFRJ, 1998, 2003). Atualmente é professora titular do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da ESPM, São Paulo; tendo exercido o cargo de Coordenadora (2009 a 2011) e Coordenadora Adjunta (2006 a 2008). É líder do GRUSCCO - Grupo CNPq de Pesquisa em Subjetividade, Comunicação e Consumo, coordena o GT Comunicação, Consumo e Subjetividade no COMUNICON - Congresso Internacional em Comunicação e Consumo e integra a coordenação colegiada da DTI 5 - Comunicação e Identidades Culturais no Congresso Ibercom. Associada da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM). Foi editora da revista Comunicação, Mídia e Consumo (2006 a 2014). Integrou a Diretoria da COMPÓS (gestão 2017-2019) e da ASSIBERCOM (Associação Iberoamericana de Comunicação, gestão 2015-2019). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Comunicação e consumo, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação e consumo, produção de subjetividades, modos de sociabilidade, cibercultura, entretenimento, envelhecimento e longevidade, o coaching midiático das subjetividades.