O Caráter Educativo do Movimento Indígena Brasileiro

com
Daniel Munduruku
> Caminhos e objetivos do movimento indígena nas décadas de 1970-1990.

/data

16, 17, 19 e 20 de agosto de 2021

segunda, terça, quinta e sexta, das 19h às 21h30

/valor

Sentimos muito, mas todos os bilhetes tiveram suas vendas finalizadas porque o evento já ocorreu.

As inscrições estão encerradas.

Deixe seu contato e avisaremos quando houver uma nova edição deste curso.

/compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

/conteúdo

Cronograma

O movimento indígena começa sua organização a partir dos anos de 1970 graças à atuação da Igreja Católica em sua opção preferencial pelos pobres. Tal opção foi essencial para dar visibilidade às demandas dos povos originários e o desenvolvimento de um movimento que viria a ser fundamental para garantir os direitos dos povos indígenas dentro da sociedade brasileira a partir da inclusão de dois capítulos na atual constituição.

Trazer à tona os caminhos que o movimento indígena teve que percorrer é um dos principais objetivos deste curso aberto para todos as pessoas que desejam conhecer o papel educativo que este movimento representou para que a sociedade brasileira pudesse olhar para os povos originários sob novas perspectivas.

 

Cronograma

Aula 1
Introdução ao tema com visão geral da temática indígena
Apresentação da bibliografia;
Apresentação dos alunos.

Aula 2
O processo civilizatório e o movimento indígena brasileiro;
As políticas indigenistas e a visão sobre os povos indígenas;
Paradigma exterminacionista;
Paradigma integracionista;
Fundação Nacional do Índio;
Constituição Federal do Brasil.

Aula 3
Posso ser quem você é sem deixar de ser quem eu sou
1] A gênese do movimento indígena brasileiro
1970 – Assembleias indígenas;
1980 – a organização macro e a organização micro;
1990 – relações interétnicas em mudança ou o protagonismo indígena.

Aula 4 – com a participação de Marcos Terena
Somos aqueles por quem esperamos;
Militância e memória;
O caráter educativo do movimento indígena brasileiro;
Conclusão do curso.

 

Aluno

Público-alvo: professores, pesquisadores, interessados no tema

Carga horária total: 4 encontros – 10h

*Não conseguiu assistir a algum dos encontros ao vivo? Sem problemas, nós enviamos a gravação da aula no dia seguinte, por email, em links pessoais e intransferíveis que ficam disponíveis por 7 dias corridos após a realização da aula ao vivo.

*Todos os cursos do b_arco oferecem certificado de aproveitamento, com detalhamento de carga horária, que são enviados por email 1 semana após o encerramento do curso.

sobre o professor

Professor

  • Daniel Munduruku
    Daniel Munduruku é um escritor indígena, graduado em Filosofia, tem licenciatura em História e Psicologia, Doutor em Educação pela USP, e pós-doutor em Linguística pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Diretor presidente do Instituto UKA - Casa dos Saberes Ancestrais. Autor de 52 livros para crianças, jovens e educadores é Comendador da Ordem do Mérito Cultural da Presidência da República desde 2008. Em 2013 recebeu a mesma honraria na categoria da Grã-Cruz, a mais importante honraria  oficial a um cidadão brasileiro na área da cultura. Membro Fundador da Academia de Letras de Lorena. Recebeu diversos prêmios no Brasil e Exterior entre eles o Prêmio Jabuti, Prêmio da Academia Brasileira de Letras, o Prêmio Érico Vanucci Mendes (outorgado pelo CNPq); Prêmio Tolerância (outorgado pela UNESCO). Muitos de seus livros receberam o selo Altamente Recomendável outorgado pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). Em 2017 foi contemplado com o Prêmio Jabuti na categoria Juvenil. Ganhador do Prêmio da Fundação Bunge pelo conjunto de sua obra e atuação cultural, em 2018. Reside em Lorena, interior de SP.