Introdução à Direção Audiovisual de Shows e de Lives

com
Max Alvim
> Uma introdução ao entendimento prático da atuação do diretor, desde a concepção do espetáculo até sua transmissão ao vivo.

/data

10 a 13 de agosto de 2020

segunda a quinta, das 19h às 21h30

/valor

Sentimos muito, mas todos os bilhetes tiveram suas vendas finalizadas porque o evento já ocorreu.

As inscrições estão encerradas.

Deixe seu contato e avisaremos quando houver uma nova edição deste curso.

/compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

/conteúdo

A direção de shows para exibição em emissoras de TV ou publicação nas redes sociais requer um conjunto de fundamentos técnicos e artísticos essenciais para a produção de uma linguagem audiovisual articulada com os conteúdos musicais, compatível com os suportes tecnológicos e com os meios de veiculação.

Este curso abordará tais fundamentos desde a perspectiva do papel do diretor, sem perder de vista uma compreensão geral da produção. O objetivo geral é permitir uma introdução ao tema, mas com elementos suficientes para o entendimento prático da atuação do diretor nesse segmento. As aulas apresentarão estudos de caso de shows, gravados ou transmitidos ao vivo, produzidos para TVs ou para a web, abordando desde a concepção do espetáculo musical, estratégias de captação, corte e/ou montagem, até a sua transmissão ao vivo.

 

 

Cronograma

Aula 1 – De quem é o espetáculo?
Nesta aula serão apresentados os fundamentos para a concepção do espetáculo musical tendo em vista a produção de um audiovisual: questões éticas e de compreensão do propósito do audiovisual; criação ou adaptação de cenário; criação do desenho de luz; relação entre iluminação do espetáculo presencial e direção de fotografia; captação de som; relação entre captação de imagem e público; relação entre direção audiovisual, direção musical e direção artística do espetáculo; e planejamento e elaboração de roteiro do espetáculo.

 

Aula 2 – Qual a intenção da captação de som e imagem?
O segundo encontro será todo dedicado à compreensão dos desafios da direção na definição de conceitos que orientem as estratégias de captação do espetáculo musical: preocupações artísticas; composição de narrativas audiovisuais; escolha tecnológica de câmeras, lentes, equipamentos robotizados e outros sistemas de controle e/ou movimento (slider travelling, CamMate, estabilizadores de câmeras, CCUs, etc); escolha de profissionais para operação dos equipamentos; e posicionamento de câmeras (incluindo estudo de enquadramentos).

 

Aula 3 – Cortar ao vivo ou montar depois?
A terceira aula tem por objetivo explorar os pontos positivos e os negativos de uma geração ao vivo de um show ou de uma captação em paralelo para posterior montagem, indicar soluções para ambos os casos e apresentar fundamentos narrativos importantes no corte de câmeras: introdução ao corte ao vivo; a operação básica de um switcher; a relevância de uma boa monitoração; a importância da comunicação eletrônica com toda a equipe durante a captação; princípios básicos de transmissão ao vivo; logística e gestão de conteúdos gravados no caso de montagem posterior à captação; questões técnicas na manipulação de grandes arquivos em ilhas de edição; e fundamentos da linguagem de corte ao vivo ou da montagem de shows musicais.

 

Aula 4 – Quais desafios as Lives criam para a direção?
Na última aula do curso apresentaremos uma introdução a direção de lives no mundo pós-Covid-19: apresentação e comentários sobre protocolos de saúde específicos para o mercado audiovisual em tempos de pandemia; apresentação de três hipóteses de produção de lives e seus desafios; escolha tecnológica de equipamentos (câmeras DSLR; celulares; webcams; mini switchers; iluminação portátil; microfones; mesas de som); breve estudo sobre as abordagens técnicas e artísticas em diferentes ambientes não controlados (questões de acústica e de iluminação); escolha de aplicativos e softwares de corte ao vivo; reflexões sobre a linguagem audiovisual nas lives; questões práticas para a mediação da interatividade e fomento de engajamento; apresentação de modelo de financiamento de grandes lives através de doações de usuários.

 

 

Aluno

Carga horária total: 4 encontros – 10 horas

Público-alvo: estudantes e profissionais do mercado audiovisual, e todos os interessados em direção audiovisual de espetáculos musicais.

*Este curso é oferecido na modalidade ONLINE, portanto é necessário ter acesso à internet. As aulas irão acontecer ao vivo no aplicativo ZOOM. Indicamos que o participante tenha um computador ou celular com câmera e microfone.

 

sobre o professor

Professor

  • Max Alvim
    Max Alvim iniciou sua carreira como cinegrafista há mais de 30 anos, tendo atuado nessa função em variados programas de TV especializados em música, tais como “Primeiro Movimento”, “Metrópolis”, transmissões do “Festival de Inverno de Campos de Jordão”, entre outros. Em 1992 faz sua primeira direção de um programa musical: o “Especial de Fim de Ano da TV Bandeirantes”, com Rolando Boldrin. De lá pra cá, dirigiu mais de 600 shows musicais e cerca de 300 documentários sobre músicos e bandas nacionais. É há 13 anos diretor geral dos programas “Instrumental Sesc Brasil” e “Passagem de Som”, ambos exibidos pelo SESC TV e YouTube. Dirigiu audiovisuais com grandes nomes da música nacional como Airto Moreira, Altamiro Carrilho, André Mehmari, Arismar do Espírito Santo, Arthur Verocai, Benjamim Taubkin, Bocato, Carlos Lyra, Cristovão Bastos, Dori Caymmi, Duofel, Edgard Scandurra, Ed Motta, Eumir Deodato, Francis Hime, Guilherme Arantes, Guinga, Hermeto Pascoal, Ivan Lins, Jaques Morelenbaum, João Donato, Kiko Loureiro, Lan Lan, Lúcio Maia, Marcos Valle, Max de Castro, Nenê, Nelson Ayres, Nivaldo Ornelas, Oswaldinho do Acordeon, Pepeu Gomes, Raul de Souza, Renato Borghetti, Roberto Menescal, Robertinho de Recife, Robertinho Silva, Romero Lubambo, Sebastião Tapajós, Simone Sou, Swami Jr., Tom Zé, Toninho Ferragutti, Toninho Horta, Wagner Tiso, Wilson das Neves, Yamandu Costa, entre outros. E grandes bandas como: Azymuth, Cama de Gato, Funk Como Le Gusta, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz, Banda Mantiqueira, Bixiga 70, Som Imaginário, Trio Corrente, Uakti, Zimbo Trio, entre outros.