\blog

Dodô Azevedo, roteirista e diretor de cinema, autor, atualmente colunista da Folha de S. Paulo e também professor do curso “Faça a Coisa Certa – O Cinema de Spike Lee”, no b_arco, preparou uma seleção de livros e filmes relacionados à temática de seu curso.

Veja a seguir:

LIVROS

Procure por mim na tempestade – Marcus Josiah Garvey (Ed. Ciclo de Fomação Marcus Garvey).

Imaginem um ativista e filósofo negro, que tenha influenciado o pensamento de Martin Luther King e Malcom X, a criação do movimento rastafari e, mais tarde Nelson Madela? O legendário Marcus Garvey foi esse intelectual. Estaria hoje fazendo 135 anos de idade. Seus escritos foram no Brasil compilados e reunidos nessa coletânea imperdível, que fundou o movimento Panafricanista, a ideia até hoje mais moderna do movimento negro em todo o planeta. 

A deseducação do negro – Carter Woodson. (Ed. Meu Neter).

Em 1915, o educador negro Carter Woodson publicou este manifesto que influenciaria o destino dos afro americanos. Sua teoria é de que crianças afro-americanas deveriam receber educação diversa, que contasse histórias e valores africanos. Que era urgente a retirada de crianças negras de escolas que ensinavam apenas teóricos brancos e ciência ocidental, criando um sentimento de inferioridade racial logo na infância. O impacto de sua obra incentivou a criação de escolas afro, e/ou, escolas com disciplinas afro para crianças. No final do século XX, o livro ganhou a cultura pop ao ser transformado em musical pela cantora Lauryn Hill, que ganhou um Grammy por seu álbum de estréia “A deseducação de Lauryn Hill”. 

 

FILMES

Stranger Than Paradise – Jim Jarmush.

Indicado por Spike Lee como um dos 50 filmes que todo estudante de cinema precisa assistir, a estreia de Jim Jarmush no cinema chama a atenção em ser um filme sem um único personagem negro na história. O filme trata-se de um marco do movimento novaiorquino No Wave, que na virada dos anos 80 reuniu artistas plásticos, músicos e cineastas em torno de produção de baixo orçamento. Jean Michel Basquiat em artes plásticas e Sonic Youth, em música, se destacavam. Assim com um jovem cineasta, chamado Spike Lee, que em breve estrearia no cinema com “Ela quer tudo” um filme preto e branco e de baixo orçamento, como o de seu amigo, Jim Jarmush.

 

Alfred Hitchcock Presents “Shopping for Death”

A série de TV “Alfred Hitchcock apresenta”, formou uma geração de cineastas que passaram suas infâncias em frente a televisores. O jovem Spike Lee confessou em 1990 à revista Dazed que “Shopping for Death” foi a principal inspiração para sua obra-prima “Faça a Coisa Certa”, que se passa “no dia mais quente do ano”. No telefilme de Hitchcock, a ideia central é que um dia quente influencia pessoas a explosões de violência. 

http://https://www.dailymotion.com/video/x4ssp17