Celso Lima é Artista Plástico formado e teve seu início como ilustrador para jornais como a Folha de São Paulo, Estado de São Paulo e Gazeta Mercantil, entre outros, e após contato com os artesãos “lukis” do Batik Tulis de Java em 1990, se aprofundou no universo da estamparia e tinturaria da Índia, Indonésia, China e Japão. As pesquisas sobre os processos de estamparias por reservas no continente africano, com destaque para as culturas da costa ocidental, como os iorubas, bamanas, ashantis e kubas teve inicio em 1998, com aprendizados realizados na Nigéria e Mali, e os experimentos tintureiros kubas no Congo em 2004. Desde 1992 desenvolve projetos com criação e produção de desenho de estampas em rapport para têxteis, em processos manuais, como o batik, e impressões industriais serigráficas e digitais. Em 2001 inicia em parceria com o SESC-SP as oficinas de estamparia, com processos tintureiros e serigráficos, e de pesquisas e projetos em design de superfície, com criações para têxteis, wallpaper, revestimentos relevados e estruturas cobogós. Em 2007 passa a publicar online um blog sobre estamparia, focado em história, design, autores e processos no site celsolima.zip.net. Com trabalhos publicados em revistas como “Casa Cláudia”, “Casa Vogue” e “Casa & Jardim”, jurado do premio Estampa Brasil nas 3 edições, com edições de textos nas 3 publicações “Alma Brasileira”, que reúnem os acervos das premiações, atualmente desenvolve pesquisas, estuda e divulga as técnicas de tinturaria e estamparia por reservas dos continentes africano e asiático, assim como as oficinas de design de superfície, coordenando pesquisa, projeto, criação e produção, com destaque também para a história da estamparia, tema de vários módulos teóricos nas unidades do SESC, e grupos de estudos sobre a cultura material africana no “Acervo África”. Em ateliê produz peças murais sobre seda, linho, lã e algodão em projetos parceiros com arquitetos e designers de interiores.
Desenvolve desde 2002 uma pesquisa extensa e aprofundada sobre a escola soviética “Vkhutemas” e o construtivismo russo, assim como suas irradiações, como a escola alemã “Bauhaus”.
Em 2018 foi co-curador da exposição “Vkhutemas: O Futuro em Construção 1918-2018” no SESC Pompéia de 26/06 a 30/09, e em 2019 em etinerância da mostra no SESC Rio Preto de 25/04 a 21/07. Em 2019 realiza programação especial de oficinas relacionada ao centenário da “Bauhaus” e às propedêuticas da escola soviética “Vkhutemas” no Instituto de Arquitetos do Brasil-SP.

Eventos nos quais esta pessoa está envolvida:

assine a newsletter do b_arco